Técnica de Quilting e suas diferenças

Se tem uma coisa em abundância na natureza é isso: técnica de quilting!

Quantas você conhece? E você sabe de verdade a diferença entre elas?

Neste artigo, vamos listar três técnicas, explicar as diferenças e te preparar para entender o universo do quilting um pouquinho mais e melhor depois dessa breve leitura.

Técnica de Quilting no. 1: Quilting Livre

O quilting livre, também chamado por aí de “quilt livre”, é uma técnica em que a gente faz tudo como se fosse “desenho à mão livre”.
A dinâmica é até parecida, mas ninguém precisa saber desenhar para fazer quilting, tá bom?
E se você quiser entender mais sobre o tal do “quilt livre”, leia este outro artigo clicando aqui.

Então como acontece o quilting livre?
São alguns passos simples:

  1. Montar o sanduíche de quilting – ou seja, duas camadas de tecido recheados por uma manta 🙂
  2. Trocar o calcador, pé ou sapatilha da máquina para o calcador de quilting
  3. Anular os dentes da máquina ou colocar o comprimento do ponto no tamanho zero

Feito isso, o sanduíche vai para a máquina – depois de projeto e treino! – e a gente vai movimentar o sanduíche com as mãos para formar os pontos.

Ou seja, vamos formar manualmente o tamanho de cada ponto e também a direção deles.
Esses pontos, um seguido do outro seguido do outro seguido do outro, vão formar os desenhos ou designs de quilting.

Portanto, com quilting livre, a gente consegue quiltar quase tudo:

  1. Desenhos abstratos: ganchos, laçadas, meandros, geométricos etc
  2. Plumas simples e elaboradas
  3. Desenhos figurativos: ursinho, carro, gato, borboleta, nuvem etc

Dominar essa técnica de quilting, como gostamos de dizer aqui no Órbita, mostra o “quilate” da quilter (a pessoa que faz o quilting!)

Então que tal algumas fotos para ilustrar o que pode ser feito com o maravilhoso quilting livre?

E o quilting livre é chamado de “quilate da quilter” justamente porque essa técnica de quilting livre é a técnica primordial!
É a primeira, é a base de tudo, é a mais importante e é a que vai te dar segurança para todas as outras.
Sem ela, você até pode conseguir fazer uma coisa ou outra mais ou menos, mas… sem ela, você não evolui, não cresce e não melhora na essência.

Técnica de Quilting no. 2: Quilting com Diretrizes

A técnica de quilting com diretrizes consiste em usar marcações de guias – as benditas diretrizes! – no seu tecido para orientar os designs que serão feitos à máquina.

Para isso, a gente usa canetas temporárias de tecido para marcar diretrizes.
E você encontra essas canetas na loja do Órbita clicando aqui.

Essas diretrizes podem ser de alguns tipos, como por exemplo:

  1. Divisões de quadrantes
  2. Divisões de ângulos
  3. Áreas para formas gerais

Assim sendo, é hora de entender o que é cada tipo!

A divisão em quadrantes é similar à essa imagem:

Já a divisão de ângulos pode ser feita dessas formas aqui:

E a definição de formas gerais para a forma é como desse exemplo:

Em outras palavras, a técnica de quilting com diretrizes ajuda a delimitar o espaço para cada parte do desenho de quilting.
Mas essas diretrizes não correspondem ao que será quiltado!

Técnica de Quilting no. 3: Quilting com Marcação

A última técnica de quilting desse artigo é o quilting com marcação – ou quilting marcado.

Aqui, também é preciso usar as canetas temporárias de tecido de que falamos ali em cima.

Mas agora a diferença entre essa técnica e a anterior fica muito nítida:
No quilting com marcação, nós vamos marcar o desenho final que será quiltado!

Isto é, ao invés de marcar apenas guias, vamos marcar literalmente as orelhas, o nariz, os pés do ursinho, enfim, tudo, tudo mesmo, que será quiltado.

Um exemplo de design figurativo que é feito com a técnica de quilting marcado são as flores do Primavera Fabulosa, como na imagem abaixo:

Mas não apenas de figuras vive o quilting marcado!
Também conseguimos e podemos usar o quilting com marcação para fazer designs abstratos, como esse lindíssimo quilt ensinado no Quilter das Galáxias:

Vamos dar aquela boa resumida?

  1. Livre é quando a gente faz todos os designs “à mão livre”
  2. Com diretrizes é quando a gente usa guias e diretrizes como auxiliares para posicionar partes do design – mas o design em si é feito também “à mão livre”
  3. Marcado é quando a gente marca no tecido o desenho exato que vamos quiltar

Então me conta, quilter, você sabia definir bem as diferentes técnicas de quilting?
Aliás, você sabia que existem tantas técnicas?

E olha que isso é só o comecinho…
Então se você quiser conhecer outras técnicas desse artesanato estupendo que é o quilting, comenta aqui! 🙂

Deixe um comentário

Pesquisar

Artigos Populares

Fique atualizada

Entre para nossa lista VIP

Cadastre seu email na nossa lista VIP para receber novidades, dicas e muito mais…

Artigos que você vai gostar...